Grupo de caminhoneiros marca paralisação para 1º de fevereiro

Associação Nacional de Transporte no Brasil (ANTB) e o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) marcaram, para o dia 1º de fevereiro, uma paralisação nacional dos caminhoneiros na tentativa de pressionar o Governo Federal


Foto: Divulgação.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Liderados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro durante as eleições de 2018, a Associação Nacional de Transporte no Brasil (ANTB) e o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) marcaram, para o dia 1º de fevereiro, uma paralisação nacional dos caminhoneiros na tentativa de pressionar o Governo Federal.

Na paralisação, a categoria pede redução no preço do diesel, fiscalização do governo sobre as transportadoras para que cumpram direitos trabalhistas e a revisão de resoluções da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). A decisão pela paralisação foi tomada no dia 15 de dezembro de 2020, em assembleia virtual de dirigentes do CNTRC.

Segundo Plínio Dias, presidente do CNTRC e do Sindicato dos Caminhoneiros de São José dos Pinhais (PR), o ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas o chamou para uma reunião em Brasília no próximo dia 26. O Ministério da Infraestrutura não confirma a reunião.

“A repercussão está tão grande que tem muitos caminhoneiros que querem estar em Brasília no dia 26. Compareçam lá. A pauta é de vocês. Espero que o ministério arrume um auditório para nos receber”, diz Dias em vídeo que circula por grupos de WhatsApp de caminhoneiros.