Focus Colloquium: O financiamento da Cultura em tempos sombrios

O setor conseguirá se reerguer em 2021? Teremos espetáculos, estádios cheios, espetáculos em teatros e outros eventos? Qual o papel dos governos? Essas e outras perguntas serão respondidas no Focus Colloquium desta segunda-feira, 31


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O setor de eventos é um dos que mais têm apresentado dificuldades na pandemia. Por conta da necessidade do distanciamento social, espetáculos que antes ficavam abarrotados de gente foram cancelados. Em alguns casos, migraram para a internet, mas com resultados incipientes.

A crise instalada no setor tomou o golpe de misericórdia com os decretos estaduais. Não se pode voltar a ser como era antes se a população não estiver imunizada ou se os casos da COVID não diminuírem.

O segmento de eventos tenta respirar com a Lei Aldir Blanc (LAB), nº 14.017/20, que prevê o repasse de R$ 3 bilhões para Estados e municípios para reduzir os impactos causados pela pandemia.

De fato, o setor conseguirá se reerguer em 2021? Teremos estádios cheios, espetáculos em teatros e outros eventos? Qual o papel dos governos nessa retomada?

Essas e outras perguntas serão respondidas no Focus Colloquium desta segunda-feira, 31.

O jornalista e editor do Focus, Fábio Campos, irá entrevistar dois importantes nomes do segmento de eventos: Ricardo Bacelar, membro da Comissão de Cultura e Arte da OAB Federal, e Luís Carlos Sabadia, gestor cultural.

Perfil

Ricardo Bacelar possui graduação em Direito pela Universidade de Fortaleza. Advogado atuante na área do Direito Empresarial e Propriedade Intelectual. Cônsul Honorário da Bélgica no Ceará, Piauí e Maranhão. Atualmente é Presidente da Comissão de Cultura e Arte da OAB Nacional. Foi Conselheiro Federal da OAB, membro do Órgão Especial da 1a Câmara de Julgamento (2016-2019). Atuou como Presidente da Comissão Nacional de Propriedade Intelectual do Conselho Federal da OAB e Presidente da Comissão de Direitos Culturais da OAB Ceará. Na  entidade, ocupou os cargos de Vice Presidente, Corregedor Geral, Secretário Geral Adjunto e Conselheiro. É pianista e compositor.

Luís Carlos Sabadia possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Estadual do Ceará (1988), e especialização em Gestão de Produtos e Serviços Culturais (2001) também pela UECE. Atualmente é membro da comissão de implantação da TvE da Prefeitura Municipal de Fortaleza, consultor – Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Estado do Ceará, consultor associado – MHR Empresarial (Hemisfério Práticas Culturais) e prestação de serviços para a Fundação Edson Queiroz / Universidade de Fortaleza. Tem experiência na área de Administração, com ênfase na Elaboração e Gestão de projetos Culturais, Esportivos e Sociais.