Focus Colloquium: Mansueto Almeida (Tesouro Nacional) e a economia no pós-coronavírus

Cearense Mansueto Almeida responderá como o Governo de um presidente que combate o isolamento social se tornou a base para sustentar as quarentenas ao bancar ajuda financeira distribuída a quase 60 milhões de pessoas.


Mansueto Almeida é o próximo entrevistado do Focus Colloquium desta segunda-feira, 1º de junho

Equipe Focus.Jor
focus@focus.jor.br

O convidado do Colloquium é apontado como um dos maiores especialistas brasileiros em contas públicas. Mansueto Almeida, economista cearense de Fortaleza, graduado na UFC, é um dos eixos do pensamento e práticas econômicas que estão no entorno do ministro Paulo Guedes.

No Colloquium, ele vai responder acerca de questões fundamentais. Por exemplo? Como o Governo de um presidente que combate o isolamento social se tornou a base para sustentar as quarentenas ao bancar ajuda financeira distribuída a quase 60 milhões de pessoas?

A situação fiscal de Estados e municípios, que já era difícil, ficou ainda mais apertada com o avanço da pandemia da COVID-19. Como forma de evitar que mergulhem no fosso, o Governo autorizou a liberação de R$ 120 bilhões. Ainda na esteira dos “socorros”, há um plano de recuperação fiscal  conhecido como “Plano Mansueto”.

O documento contém uma série de regras para que as unidades federativas recebam ajuda financeira da União: privatizações , ajuste fiscal, reforma da Previdência e isenções tributárias.  O custo aproximado ficará entre R$ 148 bilhões e R$ 222 bilhões sobre as contas públicas.

Caberá justamente ao titular Secretário do Tesouro Nacional, o cearense Mansueto Almeida, o trabalho de contabilizar os impactos e descobrir de onde sairão os recursos. Ele, inclusive será o entrevistado do Focus Colloquium desta segunda-feira, 1º de junho, às 19h30. O diálogo será conduzida pelo jornalista e editor do Focus, Fábio Campos.

Perfil
Mansueto Almeida nasceu em Fortaleza, no ano de 1967. Formou-se em 1989 em Economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Um ano depois mudou-se para São Paulo, onde realizou mestrado pela USP. Em 1994, concluiu a especialização com ênfase em macroeconomia.

Mas foi no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que Mansueto fez carreira. Chegou a assessor da Comissão de Desenvolvimento Regional e de Turismo do Senado por um breve período de tempo, entre 2005 e 2006. Atuou também como assessor econômico do senador Tasso Jereissati e consultor para o candidato à Presidência da República Aécio Neves no ano de 2014.

Em 2016 Mansueto volta ao Ipea, mas é convidado pelo então ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a fazer parte da equipe econômica do Governo Temer. Assumiu o o cargo de Secretário na Secretaria de Acompanhamento Econômico (SEAE) do Ministério da Fazenda.

Com a mudança tradicional de nomes nos governos, Paulo Guedes assume o posto de “superministro” de Bolsonaro e mantém o nome do cearense na Economia. Pesou na decisão o fato de Mansueto ser um dos idealizadores da regra do teto de gastos e ser um crítico à política de subsídios colocada em prática nos governos Lula e Dilma.

Focus Colloquium
Iniciativa encabeçada pelo Focus.Jor, o programa traz nomes de peso do cenário local para discutir temas da atualidade ligados às áreas de saúde, economia, política e jurídica. Ocorre de segunda à sexta-feira, com possibilidade de edições extras no fim de semana, de acordo com os acontecimentos.