Fiocruz interessada em produzir vacina cearense desenvolvida pela Uece

Nesta quinta-feira, houve uma reunião para discutir os detalhes da vacina, que atualmente está em fase clínica


Vacina. Foto: Freepik

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A vacina cearense HH-120-Defenser, em fase de desenvolvimento pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), acaba de ganhar um reforço. A Fiocruz, fundação pública que produz a vacina AstraZeneca no País, se mantém interessada em produzir o insumo.

Nesta quinta-feira, 10, o titular da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará, Inácio Arruda, e o reitor da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Hidelbrando Soares, além de cientistas cearenses, se reuniram com representantes da Fiocruz.

Foram apresentados detalhes, todos os passos da pesquisa, que atualmente está em fase clínica. A vacina foi testada com sucesso, tendo sido solicitada a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicabilidade de testes com humanos.

Os pesquisadores explicaram que a vacina HH-120-Defenser propõe uma nova forma de uso de um coronavírus aviário atenuado, que está no mercado há décadas e que não causa infecção em seres humanos. Essa vacina é constituída por uma cepa de coronavírus muito parecida com o SARS- CoV-2, capaz de induzir uma resposta imunológica protetora contra o novo coronavírus. Ela não causa infecções em humanos.

Depois de várias perguntas e explicações dos cientistas, os representantes da Uece e da Fiocruz acertaram a realização de uma oficina de trabalho, no fim do mês de junho, com o objetivo de aprofundar as relações entre as duas instituições com vistas à fabricação do imunizante cearense.