FGV afirma que Decotelli nunca foi professor da instituição

Segundo nota da FGV, Decotelli atuou apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos e não como professor de qualquer das escolas da Fundação


Foto: Reprodução/G1.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) afirmou na segunda-feira, 29, que o ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, não atuou como professor ou pesquisador da instituição. Em nota, a instituição declara que Decotelli não trabalhou na FGV.

“Prof. Decotelli atuou apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos e não como professor de qualquer das escolas da Fundação”, diz a nota. Apesar disso, a professora Brigitte Wolf, da Universidade de Wüppertal, na Alemanha, disse que, por lá, ele era tido como professor da FGV.

Segundo Wolf, que foi orientadora de Decotelli, o indicado para o comando do MEC esteve na Alemanha enquanto cumpria um período sabático na FGV. Em comunicado oficial, a universidade alemã garantiu que Decotteli fez a pós-graduação na instituição. O indicado ao ministério, posteriormente, removeu este trecho do currículo.