Faculdade de Medicina da UFC testa tratamento com hidroxicloroquina para profissionais de saúde

O estudo foi aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) e seu resultado deve sair em seis meses


hidroxicloroquina
Comprimido de hidroxicloroquina. Foto: Divulgação.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM), da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), inicia nesta segunda-feira, 29, pesquisa clínica sobre uso de hidroxicloroquina associada ao zinco como tratamento profilático de profissionais de saúde que trabalham com casos suspeitos ou confirmados de COVID-19.

O estudo foi aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) e seu resultado deve sair em seis meses. O NPDM é um núcleo da Universidade especializado no desenvolvimento de medicamentos e no teste e avaliação de substâncias e tratamentos de uso médico.

“Não temos uma vacina contra a COVID-19, nem perspectiva de quando a teremos nem de sua eficiência”, diz o coordenador do NPDM, Prof. Odorico Moraes. “Por isso, é importante termos uma opção profilática para os profissionais de saúde”, explica.

Pode participar dessa pesquisa qualquer profissional de saúde (médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, farmacêuticos, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, biomédicos, paramédicos e agentes de saúde) que atue na linha de frente no combate ao novo coronavírus. O estudo deve envolver 400 profissionais.

Os profissionais de saúde deverão agendar sua visita no NPDM pelos telefones 3366 8346, 99997 37618, 99627 5800, 98829 3756, 98186 4258. No núcleo, eles serão submetidos a uma consulta médica para avaliação do estado de saúde, quando realizarão eletrocardiograma, exames para detecção de COVID-19 (tanto o teste rápido como o RT-PCR), exames hematológicos e bioquímicos.