Em parceria com a Fiocruz, Sesa realiza pesquisa para detectar resposta imunológica em profissionais de saúde

A investigação será baseada em amostras dos trabalhadores em diferentes condições de saúde, práticas de prevenção e exposições de risco para a infecção. O estudo também analisará os níveis de anticorpos dos profissionais referentes a um, três, seis e nove meses após a segunda dose do imunizante


Primeiras doses de vacina contra a Covid-19 aplicadas em Fortaleza. Foto: divulgação.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Ceará estão realizando pesquisa soroepidemiológica para Covid-19 e vigilância da resposta imunológica após a vacina em profissionais de saúde.

A investigação será baseada em amostras dos trabalhadores em diferentes condições de saúde, práticas de prevenção e exposições de risco para a infecção. O estudo também analisará os níveis de anticorpos dos profissionais referentes a um, três, seis e nove meses após a segunda dose do imunizante.

O trabalhador que quiser participar da pesquisa deve demonstrar interesse à sua instituição da rede ambulatorial e hospitalar da Sesa. As amostras devem ser enviadas até o dia 28 de fevereiro.

“O acompanhamento dos níveis de IgG, por um período de tempo, após a vacinação contra a Covid-19, é de suma importância, visto que estudos têm mostrado uma queda desses anticorpos ao longo do tempo na infecção natural com o SARS-CoV-2. Será observado a soroconversão após as duas doses da vacina e a manutenção dos títulos de IgG anti SARS-CoV-2 após a vacinação”, explica Magda Almeida, secretária executiva de Vigilância e Regulação da Sesa.

A coleta e o transporte das amostras biológicas ficarão sob responsabilidade de cada instituição, bem como o cadastramento das amostras no Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL). “Deverão ser encaminhadas para a Fiocruz em caixa térmica com gelo reciclável”, ressalta a gestora.

“Os trabalhadores participantes da pesquisa deverão preencher um formulário contendo dados pessoais e aspectos clínicos. Para esse estudo, o material biológico humano será armazenado em um biorrepositório de amostra biológica reservado no laboratório de sorologia da Fiocruz”, continua a secretária.

Caso o profissional já esteja na segunda dose da vacina e na primeira coleta de sangue do estudo, é indicado continuar o processo imediatamente após a 2ª dose (idealmente dentro de sete dias) e seguir o fluxo de 30, 90, 180 e 270 dias.

Exames de anticorpos
De acordo com a Fiocruz, os exames de anticorpos envolvem a análise de uma amostra (geralmente sangue, soro ou plasma) para mostrar a presença ou quantidade de um anticorpo, produzido pelo sistema imunológico. Anticorpos são proteínas (imunoglobulinas) que protegem as pessoas contra invasores microscópicos como vírus, bactérias, substâncias químicas e toxinas.

Existem cinco classes diferentes de imunoglobulinas (IgM, IgG, IgE, IgA e IgD). As três imunoglobulinas investigadas com maior frequência em exames são IgM, IgG e IgE. Os anticorpos IgM e IgG têm ação conjunta na proteção imediata e a longo prazo contra infecções. Os anticorpos IgE estão associados a alergias.

Serviço
Prazo de envio das amostras: até o dia 28/02/2021;
Horário de recebimento das amostras: 8h às 17 horas (todos os dias da semana);
Endereço: R. São José, S/N – Precabura, Eusébio – CE, 61760-000 (Recepção da Sorologia da Fiocruz-CE);
Telefone: (85) 3215-6450.