Relatório final da PF deve apontar que Bispo atuou sozinho ao atacar Bolsonaro

O delegado Rodrigo Morais ouviu mais de 30 pessoas e teve ao seu dispor a quebra do sigilo telefônico, telemático e financeiro do acusado.


Equipe Focus

A Polícia Federal apresenta esta semana o resultado das investigações sobre o ataque a Jair Bolsonaro (PSL). O inquérito deve apresentar que Adélio Bispo, réu preso em flagrante ao atentar contra Bolsonaro em Juiz de Fora (MG), agiu sozinho. As informações estão no jornal Correio Braziliense. Bispo encontra-se preso na Penitenciária segurança máxima de Campo Grande (MS) e deve ser enquadrado no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional que fala sobre a “prática de atentado pessoal” por “inconformismo político”.

O delegado Rodrigo Morais ouviu mais de 30 pessoas e teve ao seu dispor a quebra do sigilo telefônico, telemático e financeiro do acusado. Até o momento, não foram encontradas movimentações financeiras suspeitas nem conversas ou tratativas que apontem para um crime de mando ou existência de mais pessoas no planejamento do ato criminoso. Também foram descartadas as versões, apontadas no início das investigações, da existência de uma mulher, Aryanne Campos, que teria passado a faca ao agressor.

No entanto, as investigações devem prosseguir para tentar verificar os dois últimos anos da vida de Bispo.