Cid quer Camilo com “postura de magistrado” e cuidando só da reeleição para o Governo

Com o controle pleno de sua propaganda eleitoral e de seus palanques pelo Interior, o governador deve se manter distante da disputa nacional


Camilo abre as portas para fazer campanha pela sua reeleição sem se preocupar com a disputa de presidente.

Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

Foi com muita clareza que Cid Gomes (PDT) se expressou na entrevista ao programa Focus.Jangadeiro, na Tribuna Bandnews, na quarta-feira, 08, ao tratar do papel a ser exercido por Camilo Santana (PT) em relação à disputa presidencial. “Como é o projeto que nos une aqui no Estado, [sugeri que] o Camilo tenha uma postura de magistrado e que o palanque dele trate da campanha do Ceará. Eu vou cuidar, junto com os companheiros do PDT, da campanha do Ciro. O PT vai trabalhar fora do palanque do Camilo da campanha do candidato [a presidente] do PT”, disse o ex-governador.

“Postura de magistrado” não é o que o PT cearense parece querer do governador Camilo. Porém, a resolução saída do encontro do partido é vaga. Fala apenas em “apoio” dos militantes do partido, incluindo o governador, à candidatura presidencial do PT, seja quem for ela. No entanto, não fala em obrigação de fazer campanha para o candidato petista a presidente.

Trocando em miúdos, a coisa parece ter ficado ao gosto tanto de Camilo quanto de Cid Gomes. Na convenção unificada PDT-PT, as imagens de Lula e Ciro foram colocadas em pé de igualdade. Porém, o discurso do governador passou longe da questão. Camilo nem sequer citou essas candidaturas e apenas tratou do que lhe importa, a reeleição.

Com o controle pleno de sua propaganda eleitoral e de seus palanques pelo Interior, o governador vai se manter distante da disputa nacional. Não foi à toa a sua ausência da convenção nacional do PT que homologou a candidatura de Lula, preso em Curitiba.