Editor do Intercept diz que só 1% foi revelado e que material é “avassalador”

"O contexto está absolutamente claro, os chats são detalhados, extensos, com horários, com data. Não há dúvidas sobre o que eles estão falando".


O jornalista Leandro Demori, um dos editores do site que divulgou conversas privadas entre Moro e procuradores.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O editor-executivo do The Intercept Brasil, Leandro Demori, disse que apenas “1% do material” recebido foi analisado e publicado pelo site. “A gente não está divulgando o tamanho do arquivo, mas é maior que o arquivo (do Edward) Snowden (ex-agente da Agência de Segurança Nacional dos EUA). Só para vocês terem uma ideia, em uma das reportagens a gente fala de um dos grupos, que é dos procuradores da Lava-Jato em Curitiba, que gerou 1.700 páginas de pesquisas. E tem centenas de grupos e conversas (…) Eu diria que a gente abriu uma janela” disse ao Timeline, da rádio Gaúcha.

Veja trechos da entrevista

Janela aberta
“É um material avassalador, muito vasto, muito grande, contém conversas, vídeos, áudios, fotos, prints, tudo que a gente faz costumeiramente em um aplicativo… A gente está trabalhando e não tem como saber. Eu diria que a gente abriu uma janela. A gente não conseguiu olhar tudo ainda, tem muito coisa. Eu diria que a gente olhou 1% do material, é muita coisa. É importante deixar claro que a gente está tendo todo o cuidado para divulgar apenas o que é de interesse público, mas óbvio que não vamos divulgar os outros 99%”. 

Três anos de mensagens
“A gente tem um tempo de mensagens de mais ou menos três anos, bem no meio da Lava-Jato. Então essa troca de mensagens entre Moro e Dallagnol é o chat privado deles, mas a gente tem grupos que têm procuradores apenas da Lava-Jato, tem outros da Lava-Jato e outros procuradores, do Brasil inteiro, e há também outras conversas”.

Game of Thrones
“Tem de tudo. Os grupos eram muito ativos e eles eram usados para trabalho mesmo. Eles criavam grupos temáticos, até alguns fazendo referências pop. Tinha um chamado “The winter is coming”, de Game of Thrones. O outro grupo era “os incendiários”. Eles eram temáticos para definir coisa. Cada um foi criado com objetivo diferente, e obviamente tem conversas, prints, fotos, documentos”.

Pré-filtro
“Estamos fazendo um pré-filtro, para ver se é de interesse público e se elas param em pé. A gente tem uma meia dúzia de histórias que já tínhamos como opção anterior de sair na frente e agora estamos olhando para ver se fazem sentido, se vamos citar os contextos corretamente… O contexto está absolutamente claro, os chats são detalhados, extensos, com horários, com data. Não há dúvidas sobre o que eles estão falando. Agora estamos olhando para essas outras histórias”.

Lula-Moro
“Seria absolutamente escandaloso se o advogado do Lula conversasse por dois anos com o juiz Sergio Moro, ele dizendo ‘olha faz isso, faz aquilo’. Ele antecipou uma sentença pelo Telegram. Isso é escandaloso. Em qualquer país sério isso teria uma sentença séria”.

Leia também
+Lava Jato suspeita: para Ciro, “excesso de aplausos às gravatinhas borboletas” cobraria o preço
+CNMP deve investigar Dallagnol
+Camilo aponta como “muito grave” o teor das conversas entre Moro e procuradores
+Força tarefa da Lava Jato condena ataque criminoso à Dellagnol e ao próprio MPF
+Moro rebate no Twitter as acusações de transgressão da lei na operação Lava Jato
+Moro e Dallagnol são acusados de transgredir a lei na operação Lava Jato
+ PDT coletará assinaturas para uma CPMI no Congresso