Troca de presidente e recesso no Judiciário paralisam fusão entre Boeing e Embraer

Empresas assinaram acordo de intenção de joint venture em julho. Nova compahia seria avaliada em US$ 4,75 bilhões


Foto: Divulgação Embraer

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O juiz federal Victorio Giuzio Neto, da 24ª Vara Cível de São Paulo, suspendeu na última quarta-feira, 5, acordo de intenção de joint venture entre as empresas de aviação Embraer e Boing, assinado no mês de julho. As justificativas alegadas são “proximidade do recesso do Poder Judiciário ao qual se deve somar a posse do novo Presidente da República com as alterações em equipes de governo, ao lado da ampla renovação do Poder Legislativo”.

A Advocacia Geral da União, no entanto, ainda não confirmou recebimento de notificação sobre a decisão.

A suspenção foi decretada após apresentação de ação popular apresentada pelos deputados federais petistas Paulo Pimenta (RS) e Carlos Zaratini (SP) e possui caráter cautelar e provisório.

Ainda em sua decisão, Guizio Neto aponta que a suspensão não é “obstáculo à continuidade das negociações entre as duas empresas”.

Com a junção, a nova joint venture teria valor avaliado em US$ 4,75 bilhões, valor equivalente a cerca de R$ 18,38 bilhões.