Ceará registra queda de 5% nas exportações no acumulado do ano


(Foto: Divulgação)

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

As exportações cearenses somaram US$ 783 milhões, entre janeiro e maio deste ano, apresentando recuo de 5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados são do estudo Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). Apesar da queda, esse é o segundo melhor resultado dos últimos cinco anos, seguido do acumulado dos primeiros cinco meses do ano passado.

Atualmente, o Estado é o quarto maior exportador do Nordeste e 15º entre os estados do Brasil. A maior fatia das exportações do Ceará sai do município de São Gonçalo do Amarante, que totalizou US$ 416,8 milhões.  Sobral obteve US$ 65,2 milhões em exportações. Fortaleza apresentou queda de 13,6% entre 2017 e 2018, contabilizando US$ 56,9 milhões. Já Icapuí ampliou as vendas em 548,2%, totalizando US$ 27,6 milhões.

Ferro fundido, ferro e aço são os produtos com maior demanda (US$ 417,2 milhões). Em relação a 2017, o setor decaiu em 6,2%. O setor de frutas, cascas de frutos cítricos e de melões ganha destaque com alta de 62,0%, posicionando o Ceará entre os líderes nacionais desse segmento. O setor calçadista, tradicional na indústria, apesar da queda de 8,2%, segue como forte participante na exportaçõe.

Menos exportação e mais importação

Em maio de 2018, o Ceará exportou US$ 143,8 milhões, montante 4,1% menor que o registrado em abril, conforme o levatamento. Comparado com o mesmo mês de 2017, a queda foi ainda mais significativa (29,9%), quando Estado vendeu para o exterior mais de US$ 205,3 milhões. Já as importações aumentaram 59,8% em relação a abril, chegando à marca de US$ 295,7 milhões. Na comparação com igual período do ano passado, o aumento foi de 62,9%. Maio foi ainda o mês com o maior valor importado de 2018.