Dona da British Airways/Iberia compra Air Europa e Fortaleza pode ser porta de entrada do projeto Atlântico Sul

Ao incorporar a Air Europa à família de companhias aéreas da AIG, via Iberia, o negócio abre as portas do mercado brasileiro à holding anglo-espanhola impulsionando a rede de rotas entre a Europa e a América Latina.


Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

A melhor janela econômica global já aberta para Fortaleza, o aeroporto Pinto Martins tende a ganhar maior dimensão com a compra da Air Europa pela IAG (International Airlines Group), a holding formada pela fusão das companhias aéreas British Airways e Iberia, além de outras. O valor do negócio anunciado hoje, na Espanha: 1 bilhão de euros (cerca de R$ 4,6 bilhões na conversão direta).

A Air Europa faz um voo semanal entre Madri e Fortaleza. A partir de dezembro, a frequência planejada será de dois voos semanais. Fortaleza é um dos quatro destinos da Air Europa para o Brasil. Há também rotas para Salvador, São Paulo e Recife. A companhia mantinha planos de transportar mais de 400.000 passageiros para o país, até o fim de 2020. Desse total, 62.000 passageiros são previstos para Fortaleza.

O foco do IAG com a compra bilionária é aumentar consideravelmente as conexões com a América Latina e o Caribe, além de projetar o aeroporto de Barajas, em Madri, na Espanha, para se transformar em um hub aéreo com capacidade para competir com os gigantes Paris-Charles de Gaulle, Londres-Heathrow, Amsterdam-Schiphol e Frankfurt am Main, na Alemanha. Este último, administrado pela Fraport, a empresa alemã que controla o aeroporto de Fortaleza.

A operação, que representa mais um passo no processo de consolidação do setor aéreo (as pequenas são engolidas pelas gigantes), aumentará em 61% o tamanho da Iberia, fortalecendo-a como a principal companhia aérea do aeroporto de Madri, com mais de 57% do tráfego de passageiros. Na prática, a compra permitirá que o IAG domine uma fatia importante do mercado do Atlântico Sul, replicando o modelo de negócios que já possui com os EUA e o Canadá, via British Airways, através das conexões com Heathrow (Londres) e Dublin (Irlanda).

Ao incorporar a Air Europa à família de companhias aéreas da AIG, via Iberia, o negócio abre as portas do mercado brasileiro à holding anglo-espanhola impulsionando a rede de rotas entre a Europa e a América Latina. É notória a conectividade e massa crítica que se forma para abrir novas rotas e crescer em mercados onde agora não está disponível ou tem pouca presença.

A partir de dezembro, a Air Europa voará de Madri com voos diretos e com duas frequências semanais para Fortaleza, seu quarto destino brasileiro, depois das rotas já implementadas para Salvador, São Paulo e Recife. A companhia tem planos de transportar mais de 400.000 passageiros para o país, até meados de 2020, dos quais mais de 62.000 provavelmente visitarão Fortaleza.