Dia histórico: taxa zero de positividade para COVID-19 em Fortaleza

Responsável pela estruturação e coordenação da política de combate à pandemia no Ceará, Dr. Cabeto comenta que os resultados são frutos de um "esforço intenso e incansável de todos os profissionais da Saúde"


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Com 590 exames analisados pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen) na semana de 13 a 19 de setembro, a positividade foi zero. É um dia histórico e digno de comemoração após difíceis dois anos e seis meses de um incansável trabalho das instituições públicas do Ceará que começou pelo menos três meses antes do dia 15 de março de 2020, quando o Estado registou o primeiro caso de Covid.

A taxa já estava se aproximando do zero nas semanas anteriores com positividade em torno de 1%, um percentual que já sinalizava uma situação de controle da pandemia no Estado. Não foi à toa que a governadora Izolda Cela recentemente retirou a obrigação do uso de máscaras no transporte coletivo.

Diante do resultado, Focus foi buscar a opinião do profissional que estruturou e coordenou as políticas de combate à pandemia no Ceará, o médico Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto, que dirigia a Secretaria de Saúde do Ceará quando a doença se estabeleceu em todo o mundo e chegou aqui quatro meses depois.

Dr. Cabeto elabora pergunta durante o Focus.Summit.

“Após dois anos e meio é sim um dia para ficar na história. Pela primeira vez na Capital, são seis dias sem nenhum caso positivo para Covid no Lacen. Cabe mais uma vez, lembrar e agradecer ao trabalho de todos que colaboraram para reduzir o nosso sofrimento, cada um à sua maneira, do esforço intenso e incansável de todos os profissionais da saúde a uma população que resistiu a essa tragédia, com coragem e esperança”, disse Cabeto ao Focus.

Avesso à tecer loas para seu trabalho, o médico ressalta que os resultados alcançados “ajudam a crer no futuro com a certeza de que seremos melhores no que é mais importante, com humildade diante dos fatos, sobriedade nas maiores dificuldades de vida e solidariedade com aqueles que mais precisam”.

Vejam a atualização da situação epidemiológica da COVID-19 em Fortaleza, baseada no Informe Epidemiológico da Semana Epidemiológica 37 de 2022 (SE37/2022).
– Entre os dias 13 e 19 de setembro de 2022, a positividade das amostras (RT-PCR) de residentes de Fortaleza, analisadas pelos laboratórios da rede pública foi de 0,0% (nenhuma amostra positiva de um total de 590 exames liberados).
– A média móvel atual (0,3 casos) é 85% menor do que a registrada duas semanas atrás (2,0 casos). O cenário atual é de circulação viral baixíssima, a menor desde o início da pandemia.
– Entre 13 e 19 de setembro nenhuma morte foi confirmada. A média móvel de óbitos dos últimos sete dias foi estimada, portanto, em zero (0). Continuamos em um estágio de muito baixa mortalidade.
– Atualmente, menos de 1 caso novo é confirmado a cada 24 horas e óbitos são eventos raros, associados a condições especiais e comorbidades graves (as mortes de julho foram de idosos com média de 87 anos, que se enquadravam em pelo menos uma dessas categorias).
– O Aumento da testagem e da cobertura vacinal com esquema completo em todas as faixas etárias (incluindo D3 e D4 para as populações-alvo) continuam sendo, junto com medidas não farmacológicas, as estratégias cruciais para consolidar o controle da doença.
– Depois de dois anos e meio, pela primeira vez, a positividade tende a zero. Mesmo considerando eventual limitação da testagem, o cenário epidemiológico indica tendência de controle da doença. Em se mantendo o atual quadro, inclusive em nível global, o fim da pandemia pode ser avaliado em breve.

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.