Desmatamento: dados do período Lula são usados pelo Itamaraty para defender o Brasil

Na circular, o Itamaraty informa que houve "redução significativa, de 27.700 km² em 2004 para 7.500 km² em 2018 (redução de 72%)". Mas não diz que, desde período, a queda do índice de desmatamento só ocorreu até 2012, período dos governos Lula e metade do governo Dilma.


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A Secretaria de Relações Exteriores enviou circular aos diplomatas de todos os principais postos brasileiros no exterior enumerando argumentos que devem ser utilizados para defender a política ambiental brasileira. Segundo a circular, o Itamaraty começa afirmando que os índices de desmatamento na região amazônica tiveram “redução significativa, de 27.700 km² em 2004 para 7.500 km² em 2018 (redução de 72%)”.

Porém, a circular não informa que neste período, apenas entre 2004 e 2012 (ou seja, durante os dois mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e metade do primeiro de Dilma Rousseff) houve redução do desmatamento. A partir 2012 os dados medidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram crescimento quase contínuo da derrubada de floresta.