Decisão de Fachin no TSE mantém PSDB fora da aliança com RC

A convenção que aprovou neutralidade do PSDB continua valendo. Portanto, PDT fica sem a aliança, sem Amarílio senador e com horário eleitoral reduzido


Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, negou pedido da federação nacional formada por PSDB-Cidadania  e manteve no Ceará o empresário Chiquinho Feitosa à frente da junção. Na mesma medida, manteve a convenção que havia aprovado a neutralidade da federação na disputa local.

Ou seja, com a decisão, o PDT permanece sem o PSDB na aliança. Consequentemente, o empresário Amarilio Macêdo não poderá compor a chapa majoritária ao lado de Roberto Cláudio (PDT) e Domingos Filho (PSD).

Já prevendo a possibilidade, o PDT ade antecipou e registrou em tempo hábil a candidatura da vereadora Enfermeira Ana Paula para candidatar-se ao Senado. Outras duas pedetistas  são suplentes.

Trocando em miúdos, a convenção que aprovou neutralidade do PSDB continua valendo. Portanto, o PSDB segue fora da aliança com o PDT, que continua sem Amarílio Macêdo na chapa. Ao manter a tese da neutralidade do PSDB-Cidadania, a nova decisão provoca um prejuízo nada desprezível no tempo do horário eleitoral gratuito de Roberto Cláudio.

Um resumo: A decisão foi proferida pelo ministro Edson Fachin, atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e relator da ação, que não conheceu do recurso do comando do Colegiado Nacional da Federação PSDB CIDADANIA por entender ser incabível. Lembrando que essa ação judicial foi para derrubar a decisão do ministro Benedito Gonçalves do TSE, que devolveu liminarmente o comando da agremiação para Chiquinho Feitosa. Com isso, há um forte indício da manutenção no comando do PSDB CIDADANIA no Ceará, devendo ser mantido Chiquinho Feitosa no poder. Como resultado disso, há uma grande perda do tempo de Tv na campanha de RC (PDT) e comprometimento na indicação de Amarildo Macedo para o Senado.