PGR arquiva pedido de suspeição de Gilmar Mendes feita pela Força-Tarefa da Lava Jato

O MP de Curitiba queria que Mendes fosse declarado suspeito em casos envolvendo o ex-senador Aloysio Nunes (PSDB) e Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB.


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, decidiu arquivar a representação que pedia arguição de suspeição ou impedimento do ministro do STF, Gilmar Mendes, solicitado pelos integrantes da Força-Tarefa da Lava Jato. O MP de Curitiba queria que Mendes fosse declarado suspeito em casos envolvendo o ex-senador Aloysio Nunes (PSDB) e Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB.

Segundo os promotores, o ex-senador Aloysio Nunes Ferreira, contactou o ministro para, supostamente, pedir que ele beneficiasse Paulo Vieira de Souza, na análise de um habeas corpus.

Dodge afirma que as evidências colocadas pela Lava Jato do Paraná não indicam amizade íntima que possa justificar, sob o critério jurídico-processual, arguir a exceção de suspeição do relator, inclusive porque ele, diante do esclarecimento dos fatos pela juíza da causa, revogou sua liminar e permitiu o curso regular da ação penal que resultou em condenação a pena elevada.