COVID-19: Fiocruz libera 3,6 mil testes que estavam represados no Ceará

A Fiocruz comunicou que “todas as amostras já foram processadas”


Foto: Itamar Crispim/Fiocruz.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) informou, na última quinta-feira, 19, que a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-CE) tinha 3,6 mil testes moleculares (RT-PCR) para diagnóstico da COVID-19 represados por causa da lentidão em um equipamento de processamento.

No sábado, 21, a Fiocruz comunicou que “todas as amostras já foram processadas”. A Secretaria explicou que o Governo Federal, com o qual a Fiocruz tem vínculo, justificou a lentidão como sendo um efeito dos ataques de hackers aos servidores do Ministério da Saúde no início de novembro.

A Sesa disse que novas amostras só serão destinadas à Fiocruz a partir da segunda-feira, 23. Em agosto, a Fundação inaugurou um centro de testagem para Covid-19 no município do Eusébio, com capacidade para realizar até 10 mil testes diariamente.

Depois do dia 23, diz a nota, a Secretaria “espera retomar o fluxo anteriormente acordado, de envio dos exames de pacientes para o Lacen e Hemoce e de envio dos exames de testagem em massa para a Fiocruz”.