Construção civil será inserida na lista de atividades de baixo risco, revela presidente do Sinduscon Ceará

De acordo com o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon Ceará), Patriolino Dias, a ideia é que, inicialmente 40% das atividades do setor sejam liberadas, para depois contemplar o restante


Patriolino Dias
Patriolino Dias. Presidente do Sinduscon Ceará. Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Os setores da economia cearense seguem ansiosos para a retomada das atividades, ainda que graduais, ainda no mês de maio. Um deles é a construção civil. De acordo com o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon Ceará), Patriolino Dias, a ideia é que, inicialmente 40% das atividades do setor sejam liberadas, para depois contemplar o restante.

Na noite de ontem, 13, ele participou de uma reunião do comitê estratégico criado pelo Governo do Ceará para discutir com os setores estratégias de retorno das atividades hoje suspensas pelo decreto estadual de isolamento social. “O comitê apresentou um panorama, onde a construção civil está inserida dentre as atividades com risco mais baixo”, pontuou.

Ao questionar o secretário da Casa Civil, Élcio Batista, sobre o retorno das atividades após o dia 20, Patriolino ressaltou que não há uma data precisa.  “O secretário disse que não pode precisar se a data do retorno será imediatamente após o dia 20, mas reiterou que a construção civil estará contemplada na lista de prioridades das atividades a serem liberadas. O ponto positivo é que o secretário assegurou que toda a cadeia de atividades que compõem o processo construtivo (material de construção, etc.) estará inserida na liberação”, destacou.

A corretagem de imóveis também, na sua perspectiva, será liberada. “Tomei a palavra mais uma vez para esclarecer se a corretagem imobiliária estará inserida nessa liberação, ao passo que o secretário foi enfático ao assegurar que sim, por entender que a corretagem faz parte da cadeia do setor”, declarou.