Conselho da OAB-CE decide reverter as 11 demissões realizadas pelo presidente Erinaldo Dantas

Além disso, por maioria de votos, os conselheiros tiraram uma determinação para que o presidente passe a cumprir o regimento interno e convoque pelo menos uma reunião mensal da diretoria.


Edvaldo Araúj0
edvaldo@focus.jor.br

A crise institucional na OAB-CE teve mais um capítulo na tarde desta quinta-feira, 19. Em reunião convocada de forma extraordinária por conselheiros, o Conselho Superior da OAB-CE decidiu reverter as demissões determinadas pelo presidente Erinaldo Dantas contra 11 funcionários da Tesouraria da Ordem. As decisões foram tomadas por 26 conselheiros, com 21 votos a favor e quatro contra, pois Pedro Bruno, secretário geral que atuou como presidente da sessão, participou da quórum mas não teve direito a voto.

Além disso, por maioria de votos, os conselheiros tiraram uma determinação para que o presidente da OAB-CE passe a cumprir o regimento interno e convoque pelo menos uma reunião mensal da diretoria – até o momento a diretoria havia se reunido apenas duas vezes, a última delas em março. Erinaldo e nem a vice-presidente, Ana Vládia Martins Feitosa, compareceram à reunião.

A crise institucional ficou evidente esta semana quando o presidente Erinaldo Dantas foi denunciado por cinco diretores por agir de forma discriminatória ao demitir 11 funcionários da Tesouraria. Após isso, conselheiros conseguiram assinatura para realização da reunião. O Conselho é o órgão superior da OAB-CE.

 

Leia Mais
Diretores da OAB-CE denunciam Erinaldo Dantas por dispensa discriminatória de 11 empregados da Ordem
Conselheiros convocam sessão extraordinária do Conselho da OAB-CE para discutir crise institucional