Conheça nomes certos e cotados para compor o secretariado de Elmano de Freitas

A base aliada é ampla. A trajetória que elegeu o governador e seu entedimento de governabilidade vão fazer com que seja respeitada as condicionantes políticas, mas alguns nomes já são certos


Elmano de Freitas em entrevista ao Focus: um petista ráiz que entende o espírito político que o levou à vitória ainda no primeiro turno

Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

Elmano de Freitas (PT) inicia em 1º de janeiro um novo ciclo da política do Ceará. Novo sim. Não pela conjunção de forças que se formou em torno dos vitoriosos, que já é muito parecida com o que tivemos nos últimos 16 anos, mas sim quando se considera a trajetória do governador eleito.

Elmano é um petista raíz, com origem política no MST, alçado às disputas eleitorais pela então prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), que também teve papel papel importante em sua indicação como candidato ao Governo.

Porém, o advogado Elmano de Freitas se tornou politicamente bem mais amplo que sua trajetória inicial. Tanto que foi bancado como candidato, praticamente sem restrições relevantes, por um leque de lideranças encabeçado pelo senador eleito Camilo Santana (PT).

Logo a partir da vitória folgada já no 1ºturno, as articulações para a montagem da equipe tiveram início. Como se tornou peculiar em sua trajetória como parlamentar, Elmano manteve a verve conciliadora e negociadora, sem perder sua autonomia e firmeza nos propósitos, características que o credenciaram como candidato.

Portanto, teremos uma composição de Governo ampla, que atenderá à base política e partidária que o elegeu.

O Focus inicia agora uma série para apontar prováveis e possíveis nomes de secretários, além de uma nova estruturação administrativa que, na medida do possível, seguirá a linha que se concretizará com a monatgem da equipe de Lula da Silva no Governo Federal. Assim como o governo de Cid Gomes fez, a ideia é espelhar o local pelo nacional, o que facilita os fluxos de projetos e recursos.

Casa Civil
A preço de hoje, o nome mais cotado é o do atual superintendente do Detran, Max Quintino. Trata-se de um nome que circula bem. Participou da campanha em uma área estratégica. Finanças. Tem ligações fortes com Camilo Santana. Com o nome na mão, Elmano ouviu outras lideranças que, ao fim das contas, avalizaram. Não ocorreram restrições.

Porém, a Casa Civil do futuro Governo não terá o mesmo modelo que marcou as três últmas gestões estaduais (Cid, Camilo e Izolda Cela). A pasta será mais técnica com funções de coordenação transversal e intersetorial. Ou melhor, condicionantes mais voltadas para a gestão.

Nos últimos anos, a Casa Civil foi ampla. Manteve responsabilidades relacionadas à gestão e à política. Sob suas asas, mas com certa autonomia, ficaram a articulação política (Nelson Martins nas relações institucionais) e outras funções, incluindo a área de Comunicação. Agora, parte dessas funções serão divididas e até vão ganhar autonomia.

Veja aqui o perfil de Max Quintino
É mestre em Economia do Setor Público, formado pelo Programa de Pós-graduação em Economia da Universidade Federal do Ceará (CAEN/UFC), graduado em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). É professor da Rede Pública Estadual de Ensino. Foi diretor da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), de 2011 a 2015, e presidente do Instituto Agropolos do Ceará, de 2015 a 2017. Atuou na Casa Civil do Governo do Estado do Ceará como Assessor Especial do Gabinete do Governador, de julho de 2017 a dezembro do mesmo ano, e fez parte da coordenação do Programa Mais Nutrição, do Governo do Estado do Ceará, de 2018 a 2021. Foi, ainda, presidente das Centrais de Abastecimento do Ceará (Ceasa-CE), de 2018 a 2021, até assumir, em fevereiro de 2021, a superintendência do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE).

Chefia de Gabinete
Anotem o nome do jornalista e ex-secretário de Governo da Prefeitura de Fortaleza, Waldemir Catanho. A função ganhará outra dimensão caso seja esta a opção. Respeitado como articulador político, Catanho carrega em sua trajetória experiência e uma característica importante para a função: as crises que lhe chegam saem bem menores de sua sala. Seu relacionamento com Elmano é de longa data. O próprio Elmano de Feitas já apontou que Catanho é nome certo em seu Governo (Veja aqui).

Educação
Quem quer que seja indicado para a pasta terá a tarefa que dar continuidade até avançar em um dos maiores sucessos administrativos do Ceará. É um legado cujo maior objetivo é a universalização do ensino integral.

Então, nada melhor para a função que um nome que já tenha muita intimidade com as políticas públicas que vêm sendo desenvolvidas desde o Governo de Cid Gomes.

Uma aposta: o deputado federal Idilvan Alencar. Trata-se de um nome do PDT, mas bastante ligado à governadora Izolda Cela. Foi eleito pela massa da corporação (a maior do Ceará) que atua no setor. Tem liderança forte na área.

Politicamente, a indicação de Idilvan acabaria cumprindo uma necessidade premente. Sua licença do cargo de deputado federal abre uma vaga para ninguém mais, ninguém menos que o deputado Leônidas Critino, que ficou na primeira suplência do partido e é ligado ao grupo político de Cid Gomes.

Desenvolvimento Econômico
Eis uma área que também a palavra chave é de continuidade. Dez entre dez ouvidos pelo Focus apontam que o mais adequado é manter o atual secretário, Maia Júnior. Não é preciso aqui se alongar demais nos motivos, que todos conhecem.

Muito experiente na área, com a marca do espírito público, a chegada de Maia do Governo Camilo no segundo ano do primeiro mandato (no Planejamento), deu a cara e o rumo que a gestão tanto precisava. Liderou a construção de delicadas mudanças no modelo aministrativo e coordenou a formulação de delicadas e fundamentais reformas, como a da Previdência.

Deslocado para o Desenvolvimento Econômico, Maia reestruturou o setor, despartidarizou o comando das funções técnicas sob a asa da pasta, juntou-as todas no mesmo ambiente horizontal e coordenou a política pública que tende a representar o grande salto na geração de riqueza do Ceará. No caso, o hub do Hidrogênio Verde, com uma articulaçao intrnacional que poucos têm a competência para tocar.

Não pode haver erro na indicação. Maia já disse publicamente que vai finalizar a sua trajetória na pasta, mas muito provavelmente será ouvido. Quem sabe, se convidado, pode até permanecer. O fato é que ali é necessário, no mínimo, uma transição mais longa e cuidadosa. Há uma cultura estabelecida no setor que não pode se perder.

Nos bastidores, fala-se muito no nome do deputado estadual reeleito, Salmito Filho (PDT) para a pasta. Um político com veia acadêmica e estudioso das questões relacionadas ao desenvolvimento, Salmito presidiu por três vezes a Câmara de Fortaleza. Sua indicação abriria uma vaga na Assembleia, o que facilitaria ajustes de necessidade política numa base que é ampla.

Uma fonte relatou ao Focus que a função de líder do Governo na Assembleia lhe cairia como uma luva. Em recente entrevista ao Focus Colloquium (veja aqui), o deputado Salmito declarou que seu projeto, provavelmente a médio prazo, é presidir o parlamento estadual.

Outo nome que vem sendo citado para o Desenvolvimento Economico é o do economista Célio Fernando. Bem articulado com escalões importantes da atual estrutura de poder, Célio dirige a Secretaria Executiva de Regionalização e Modernização no âmbito da Casa Civil. Nos últimos anos, soube se articular bem com a política e conhece muito bem as políticas públicas na áreav de desenvolvimento econômico do Ceará.

Na reforma que certamente virá, o Desenvolvimento Econômico deve perder o Trabalho, que, espelhando o Governo Lula, deve virar uma secretaria à parte.

Cultura
A indicação de Luísa Cela para o cargo é apontada como um fato que deverá se concretizar nos próximos dias. Filha da governadora Izolda e do ex-prefeito de Sobral, Clodoveu Arruda, Luísa, embora jovem, é uma já experiente militante executiva da área.

Veja aqui sua trajetória assinada pela prória Luisa
Atualmente, exerço a função de secretaria executiva da cultura do Governo do Estado do Ceará. Entre os anos de 2014 e 2016 assumi a Diretoria de Direitos Humanos da Rede Cuca (Centro de Cultura, Juventude, Esporte e Ciência). No período seguinte desempenhei a função de Diretora de Cidadania Cultural do Instituto Dragão do Mar. Em 2017, exerci a função de presidenta do Instituto ECOA – Sobral/Ceará (Escola de Comunicação, Cultura, Ofícios e Artes). Possui mestrado em Saúde da Família e graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (2010) com especialização em Arte-Terapia pelo Instituito Aquila (2011).

Fazenda
A pasta já tem uma dona. Até aqui, Fernanda Pacobahyba, atual secretária, funcionária de carreira da Sefaz, é a única entre os atuais secretários que teve seu nome já confirmado para se manter no cargo (Veja aqui).

O próprio Elmano confirmou as indicação. Fez isso no dia 21 de novembro, durante reunião com empresários do comércio, no prédio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL): “Na parte fazendária, o que eu defini é que Fernanda Pacobahyba deve permanecer… Como deputado, eu já notei que o preparo técnico dela é evidente”.

Nos próximos dias, novos fatos
Há muitas questões e indicações a resolver. Trata-se de um quebra-cabeça político. PT, PDT, PP, MDB e outras forças serão contempladas. Os cargos locais vão corresponder ao quadro ministerial que ainda está em formação.

Sendo assim, as articulações vão chegar até janeiro. Não é improvável que Elmano assuma o Governo já tendo que apresentar à Assembleia leis de reforma na estarutura do Governo. Terá tempo e maioria folgada para tal.

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.