“Com o lulopetismo corrompido e neoliberal tosco, minha relação está encerrada”, dispara Ciro

Pedetista ainda reforça que o Jair Bolsonaro não tem força para se reeleger, pois não apresenta condições de se apresentar para o povo


Ciro Gomes. Foto André Carvalho/CNI.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT) interrompeu a trégua em nome do impeachment de Jair Bolsonaro e voltou a criticar Lula em uma entrevista para o podcast Estadão Notícias.

O ex-governador do Estado ressaltou que cortou relações com os antigos aliados. “Com o lulopetismo corrompido e neoliberal tosco, a minha relação é definitivamente encerrada”, afirmou Ciro. “Será que do Bolsonaro aconteceu por acaso? Não foi não. Quem produziu Bolsonaro foi a irresponsabilidade criminosa e corrupta do senhor Lula”, disse.

O ex-governador reforça que o Jair Bolsonaro não tem força para se reeleger, pois não apresenta condições de se apresentar para o povo. “É um governo trágico que não tem nada para mostrar”, afirma.

O pedetista ressaltou que se fosse para o segundo turno, nas eleições de 2018, ele venceria o atual presidente da República. “Eu jamais acreditei que o Bolsonaro teria alguma chance e mordi a língua. Eu ganharia as eleições do Bolsonaro. A força dominante nas eleições era uma repulsa contra o Lula e o PT, que destruíram a economia e levaram à corrupção no centro de governança do modelo deles”, afirma.

Ciro reforça que o Jair Bolsonaro não tem força para se reeleger, pois não apresenta condições de se apresentar para o povo. “É um governo trágico que não tem nada para mostrar”, afirma. “Bolsonaro quer interromper o processo democrático para que dê continuidade no poder. Sabe que no processo eleitoral ele não tem chance nenhuma”, finaliza.