Com medidas salgadas de Camilo, setor de restaurantes vai às ruas e quer compensações ao estilo Doria

São Paulo anunciou um pacote de medidas com o objetivo de amenizar a dramática situação do setor que mais sofre desde o início da pandemia.


Com as novas medidas que restringem ainda mais os horários de funcionamento, a gritaria do setor de bares e restaurantes está ficando estridente e pode incomodar os tímpanos do governador Camilo Santana. Há pelo menos duas manifestações marcadas para acontecer nesta quinta-feira, 04, em Fortaleza. Uma delas, em frente ao Palácio da Abolição (veja imagem).

O setor é o mais castigado desde o início da pandemia. A quebradeira e o desemprego na área já são bem conhecidos. Um proprietário de restaurante escreveu o seguinte em um grupo de WhatsApp: “Que absurdo. Vai gerar uma quebradeira. Abrir restaurantes até as 20 horas na semana e até 15 horas no final de semana não fecha as contas. Vai gerar uma onda de fechamentos e desemprego. Não falam em isenção de IPTU, ICMS etc. Vamos nos mobilizar!”

Pois é. Até aqui, as medidas do Palácio da Abolição não deram nenhum refresco ao setor. Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) mudou a postura. Lá, foi anunciado uma pacote visando amenizar o impacto nos negócios. São R$ 125 milhões de crédito, além da suspensão do corte do fornecimento de gás e água por falta de pagamento até o final de março. Ainda segundo o governo, as contas pendentes vão poder ser parceladas sem juros e multas.

Doria também anunciou que o protesto de débitos inscritos na dívida ativa serão suspensos por 90 dias para que os empresários tenham capacidade de adquirir financiamento.

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.