Churrascaria, lanchonetes e centro espírita: os gastos de Bolsonaro no Ceará

A maior parte das despesas foi com alimentação e hospedagem. Há também até o uso do dinheiro com um centro espírita


Bolsonaro
Foto: Gabriel Amora

Gabriel Amora
focus@focus.jor.br

No cartão corporativo do ex-presidente Bolsonaro (PL) diversas compras foram realizadas no Ceará durante os quatro anos de mandato, totalizando R$ 587.447,71.

O valor fica atrás apenas de Alagoas, que ficou em 1º, e da Bahia, que ficou em 2º, no ranking de despesas do ex-mandatário no Nordeste. 

Em 2019, foram usados R$ 4.160,00, no Estado, por exemplo. Em 2020, R$ 131.386,06, enquanto que em 2021, R$ 243.688,77.

Por último, em 2022, R$ 208.212,88 foram gastos com o cartão. Nos quatro anos, Bolsonaro esteve no Ceará sete vezes, gastando, na maior parte das despesas, com hospedagem.

No primeiro ano de mandato, por exemplo, o valor foi usado apenas durante estalagem em hotel na capital cearense, no Marina de Iracema Park S.A.

Já em 2020, Bolsonaro usou, em algumas ocasioões, o cartão para serviço de apoio administrativo, como ocorreu em Juazeiro do Norte, acumulando R$ 8.400,00. Contudo, na maioria das vezes, o ex-presidente também aplicou em alimentação, como ocorreu em um estabelecimento em Barbalha, quando gastou o valor de R$ 4.206,14. O comércio, no caso, foi o Cupim na Brasa Cariri, no bairro Bulandeira.

Já outro valor de destaque foi a hospedagem, em Juazeiro do Norte, que custou R$ 17.856,00. O empreendimento foi o Verdes Vales Lazer Hotel, que fica no bairro Lagoa Seca.

Foto: Verdes Vales Lazer Hotel/Divulgação

Já em 2021, quando usou R$ 100 mil a mais que no ano anterior no Estado, Bolsonaro aplicou o cartão, na grande maioria das vezes, em combustível e serviços para carros.

R$ 10.437,25 foram gastos em cupim na brasa, no estabelecimento Cupim na Brasa Cariri, no bairro Bulandeira, em Barbalha, e R$ 36.460,00 em hospedagem, no bairro Lagoa Seca, em Juazeiro do Norte.

Outro valor curioso foi o de R$ 7.277,10 em um centro espírita intitulado de O Pobre de Deus, no município de Viçosa do Ceará, no bairro Centro. 356 lanches foram solicitados ao centro.

No mesmo ano, houve, inclusive, uma compra de R$ 4.800 na panificadora Julieta Maria Cruz Lima (nome fantasia Panificadora e Confeitaria Benfica), no bairro Benfica, em Fortaleza. 

Em 2022, R$ 70.090,00 em hospedagem, no município de Juazeiro do Norte, novamente no Verdes Vales Lazer Hotel, R$ 21.056,00 em restaurante Landua Quixadá, no município de Quixadá, e R$ 25.589,50 no estabelecimento Caktus Restaurante, Hamburgueria e Pizzaria, também em Juazeiro do Norte.

Foto: Caktus Restaurante, Hamburgueria e Pizzaria/Divulgação 

Os dados são da agência Fiquem Sabendo, que garantiu, através de Lei de Acesso a Informação (LAI), que o Governo Federal liberasse o acesso às cópias das notas fiscais de compras do ex-presidente.

A instituição escaneou 2,6 mil páginas, aproximadamente 20% do total.

Logo, os valores, em todos os estados, inclusive no Ceará, podem aumentar com o passar das semanas.

O uso do cartão corporativo não é feito direta e exclusivamente pelo presidente. O valor também inclui gastos do chefe do Executivo e da equipe mais próxima, como seguranças e assessores que o acompanham em viagens, por exemplo. 

Leia mais: 

+ Bolsonaro gastou quase R$ 600 mil no cartão corporativo em visitas ao Ceará