Ceará tem menor taxa de desemprego do Nordeste, diz PNAD Contínua

De acordo com os indicadores apresentados, o contingente de desempregados foi estimado em 419 mil pessoas, 20 mil a menos do que no trimestre anterior, destacando o Ceará como a menor taxa de desemprego entre os estados nordestinos


Foto: Divulgação.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Um levantamento realizado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta sexta-feira, 13, mostrou que o Ceará tem a menor taxa de desemprego do Nordeste.

O índice permaneceu relativamente estável ao passar de 11,1% para 11,0% da força de trabalho local, entre o quarto trimestre de 2021 e o primeiro trimestre de 2022.

“O desempenho do Ceará no primeiro trimestre de 2022 é o melhor do Nordeste, ficamos em primeiro lugar. Ou seja, mais pessoas que procuram emprego neste momento estão conseguindo se empregar”, destacou Kennedy Vasconcelos, secretário-executivo do trabalho e empreendedorismo.

De acordo com os indicadores apresentados, o contingente de desempregados foi estimado em 419 mil pessoas, 20 mil a menos do que no trimestre anterior, destacando o Ceará como a menor taxa de desemprego entre os estados nordestinos.

Para o analista de mercado do trabalho do IDT, Erle Mesquita, esse resultado decorreu da redução da força de trabalho (158 mil pessoas saíram do mercado de trabalho estadual) em intensidade superior à retração da oferta de trabalho (extinção de 138 mil ocupações). “Por sua vez, a taxa de participação, que é a proporção de pessoas de 14 anos ou mais incorporadas ao mercado de trabalho como ocupadas ou desempregadas, diminuiu de 53,1% para 50,9%”, acrescenta Mesquita.

A da Pnad Contínua começou em 2012. Segundo o IBGE, a pesquisa é o principal instrumento para acompanhar a força de trabalho no país. A amostra da Pnad Contínua corresponde a 211 mil domicílios, com cerca de 2 mil entrevistadores em 26 estados e no Distrito Federal.