Ceará na rota da inovação. Por Pedro Silva


Pedro Silva é sócio-diretor do escritório da KPMG em Fortaleza. Foto: Divulgação

Um dos principais estados brasileiros, o Ceará vem ganhando lugar de destaque na economia do Nordeste e no país. Mesmo com os entraves causados pelas medidas de isolamento social impostas pela pandemia que afetaram as movimentações no mercado local, a região vem buscando uma forma de retomar a economia e atrair novas empresas e, consequentemente, gerar mais empregos.

Podemos considerar que parte desse processo gira em torno de um centro tecnológico inaugurado recentemente em Fortaleza, segundo maior do mundo, e que alçou a região a patamar privilegiado em relação à conectividade digital.

Dessa forma, houve um forte avanço de grandes empresas de telecomunicações que, até então não atendiam o estado, mas que passaram a fornecer serviços para a população. São companhias que, desde o ano passado, buscaram no mercado financeiro uma forma de crescimento com a realização de abertura de capital na Bolsa de Valores e com a participação em uma operação de fusões e aquisições.

Na esteira desse progresso, outros setores que demandam de tecnologia acabarão se instalando e se desenvolvendo no estado. Entre eles, estão energia renovável, turismo, logística, mobilidade urbana e o agronegócio. Além disso, a rede de ensino deverá ter um saldo de qualidade em função da conectividade. E uma das maiores estruturas portuárias do país – o Complexo Industrial e Portuário do Pecém – vai ser um dos favorecidos pela grande concentração de infraestrutura de tecnologia da informação.

Por outro lado, é preciso que as empresas estejam preparadas para essa nova fase da região. O importante é que as companhias gerem uma sinergia com os recursos de tecnologia para que esse movimento seja promissor e que possibilitem o uso de ferramentas como inteligência artificial, internet das coisas e computação em nuvem.
A expectativa para os próximos anos é que o Ceará passa por fomentar o aumento da geração de riqueza, promoção do desenvolvimento da indústria e a oferta de mais oportunidades de emprego e negócios voltados para a área de inovação.

Com a ajuda da tecnologia, o estado irá aprimorar o ambiente de negócios e se tornará um centro de atratividade para empresas nacionais e internacionais. Com isso, ganhará uma posição de destaque no processo de desenvolvimento econômico nacional e mostrará que as opções de negócios na região vão muito além do turismo.