Capitão Wagner critica oponentes: “A gente não tem tempo para ficar brigando pelo poder”

Além disso, Wagner também elogiou o trabalho de Kamila Cardoso (Podemos) enquanto criticava o PDT, que não optou pela governadora Izolda Cela


Foto: Gabriel Amora

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Durante a convenção do candidato ao Governo do Ceará, Capitão Wagner (UB), realizada na manhã de hoje, sexta-feira, 5, em Fortaleza, foi destacado que o seu arco de apoiadores está “unido” para as eleições de 2022, diferentemente de seus oponentes.

“O que está acontecendo do lado de lá (do PDT) é algo que nunca aconteceu na política do Estado. Você vê, dentro do mesmo grupo, irmãos brigando com irmãos, porque a única expectativa é o poder pelo poder. Do lado de cá, o nosso foco é o povo cearense”, disse durante seu discurso.

Além disso, Wagner também elogiou o trabalho de Kamila Cardoso (Podemos) enquanto criticava o PDT, que não optou pela governadora Izolda Cela.

O candidato ao governo do Ceará pelo União Brasil, Capitão Wagner, reuniu um time de sete legendas em torno da sua candidatura. Entre elas, o UB, partido ao qual é filiado e que preside no Ceará, e o PL, legenda do presidente Bolsonaro e que é encabeçada localmente pelo prefeito do Eusébio, Acilon Gonçalves.

Wagner, em vista disto, garante força em Fortaleza, com os eleitores de Bolsonaro, e parte do Interior, visto que Acilon atua como uma liderança influente e relevante na região em que é prefeito. Além disso, se adiciona a advogada Kamila Cardoso, pelo Podemos, que também concorre ao Senado. Importante destacar que Kamila é ativista de causas sociais em Fortaleza. Depois vem Raimundo Gomes de Matos, apontado hoje, sexta-feira, 5, para ser vice de CW.

E, em relação aos partidos, CW tem, além do Podemos, Republicanos e do União, o Avante, Pros, PTB e PL.