Camilo determina toque de recolher, fechamento de espaços públicos e suspensão de aulas presenciais

As medidas são válidas até o dia 28 de fevereiro


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O governador Camilo Santana determinou que o Ceará passará a ter toque de recolher. A medida é uma forma de conter o avanço da COVID-19 em Fortaleza e no Interior do Estado.

“Por conta dos números e das orientações que tomamos com nossos profissionais, decidimos estabelecer medidas mais restritivas”.

O decreto será publicado ainda nesta quarta no Diário Oficial do Estado. Todas as medidas valem a partir desta quinta-feira, 18, com exceção das aulas nas escolas públicas e privadas; nesse último caso, a medida passa a valer a partir de sexta-feira, 19.

As restrições que permanecerão até o dia 28 de fevereiro são: 

– Comércio funcionando de segunda à sexta, até 20h. Nos fins de semana, até 17h. Serviços essenciais (supermercados e farmácias) seguem normalmente;

Restaurantes mantêm o horário inalterado, funcionando de segunda à sexta, até 20h; sábados e domingo, até 15h;

– Espaços públicos proibidos a partir das 17h;

– Toque de de recolher – 22h até 5h – de segunda a domingo;

– Suspensão das aulas presenciais em escolas e universidades públicas e privadas, permanecendo apenas serviço remoto;

– Trabalho remoto de serviços do funcionalismo público, além das atividades privadas;

– Continuidade de barreiras sanitárias, com transporte intermunicipal passando por fiscalização mais incisiva;

– Festas e eventos, abertos ou fechados, públicos ou privados, seguem proibidos;

– Em condomínios de praia, espaços comuns e equipamentos de lazer não poderão ser acessados. O mesmo vale para estabelecimentos de veraneio, temporada e resorts;

– Já nos condomínios residenciais, fica estabelecido o controle e a fiscalização dos espaços comuns e dos equipamentos de lazer.

Comparação

Antes de anunciar as medidas, Camilo fez uma introdução comparando números da pandemia de setembro, quando a curva esteve baixa, de janeiro, quando os caso voltaram a crescer, e desta quarta.

De acordo com o governador, em 19 de setembro, o número de pacientes em leitos de UTI era de 49; em 18 de janeiro, subiu para 226; já nesta quarta, 17 de fevereiro, atingiu 652.

Em leitos de enfermaria, eram 470 pacientes em 18 de setembro; em 15 de janeiro, o número saltou para 558; já nesta quarta, o total é de 1.026 pacientes.

O chefe do Executivo Estadual ainda falou dos atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Em abril, no ápice da pandemia, o número de atendimentos chegou a 12.256; em setembro, foram 3.728 pacientes; em janeiro, voltou a atingir números próximos ao pico, chegando em 12.509. Até o dia 15 de fevereiro, foram 10.909 atendimentos.

Camilo pediu colaboração da população para que medidas mais duras não precisem ser tomadas.

Confira os pronunciamentos de Camilo Santana, Sarto e Dr. Cabeto: