Caixa diz estar revisando estratégia corporativa para os próximos 5 anos

Segundo Daniella Marques, a maior parte das dívidas dos quatro milhões de clientes pessoas físicas enquadradas no programa se referem a débitos de menor valor. "Setenta por cento das dívidas de pessoas físicas são de até R$ 5 mil", disse ela.


Foto: Reprodução.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A presidente da Caixa Econômica Federal, Daniella Marques, disse nesta quinta-feira, 6, que o banco público está revisando sua estratégia corporativa para os próximos cinco anos. Segundo ela, o incentivo ao empreendedorismo estará no centro, bem como a melhoria dos canais digitais.

“Estamos revisando a estratégia do banco para os próximos cinco anos. O empreendedorismo vai estar no centro dessa estratégia”, afirmou a executiva, durante coletiva de imprensa de lançamento do programa de renegociação de dívidas Você no Azul.

Marques afirmou que uma das prioridades da Caixa em sua gestão é promover um “choque digital”. As primeiras iniciativas, segundo ela, serão a melhoria do atendimento.

“Hoje, a gente abre a poupança social digital, mas não abre conta corrente digital. O choque digital passa por abrir conta corrente digital e colocar Wi-Fi nas agências”, disse ela, que afirmou que a internet sem fio para os clientes estará disponível nas agências ainda este ano.

Campanha Você no Azul

A presidente da Caixa afirmou que o objetivo do banco com a Campanha Você no Azul 2022, programa de regularização de dívidas em atraso, é que sejam renegociados até R$ 1 bilhão. O programa é destinado à renegociação de dívidas que já estão lançadas no balanço do banco em condição de prejuízo, que já estão com mais de 360 dias em atraso, com desconto de até 90%.

Marques ainda destacou que os clientes poderão usar o consignado do Auxílio Brasil, que deve ser lançado pela Caixa na segunda quinzena deste mês, para renegociar as dívidas na Campanha Você no Azul, possibilitando a troca de dívidas mais caras por mais baratas.

A presidente tem dito que o banco vai oferecer a modalidade com taxa mais baixo do que o teto regulamentado, de 3,5% ao mês.

Dentre os grandes bancos, a Caixa é a única que confirmou vai operar a modalidade, considerada por parte do mercado arriscada, uma vez que os beneficiários do auxílio já estão em condição de vulnerabilidade. “Clientes poderão usar consignado do Auxílio Brasil para trocar dívidas mais caras, como o rotativo do cartão de crédito. Os clientes poderão renegociar dívidas mais caras com desconto esse desconto de até 90%.”

Essa é a segunda entrevista coletiva da Caixa nesta semana, logo após do primeiro turno das eleições presidenciais.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), enfrenta o ex-presidente Lula (PT) na segunda fase do pleito ao Palácio do Planalto. Na terça-feira, a Caixa fez uma coletiva sobre a antecipação dos pagamentos do Auxílio Brasil neste mês. Os repasses vão terminar cinco dias antes do segundo turno, quando, inicialmente, terminariam dia 31, após a votação.

A campanha lançada nesta quinta foi citada com viés eleitoral mais cedo pelo presidente Jair Bolsonaro. Em ato de campanha à reeleição, o presidente citou o programa e disse que a Caixa “parece que é até um ministério de tanto que faz para a população como um todo”.

“É uma solução que a Caixa está apresentando para quem este endividado. É uma solução para que a pessoa recomece. Queremos ser solução para quem quer empreender e também para quem é crescer”, disse Marques.

Ela lembrou que o banco é um dos operadores do Pronampe, programa de crédito garantido do governo federal focado em micro e pequenas empresas. “Já fizemos mais de R$ 8 bilhões para mais de 90 mil empresas. Ainda temos R$ 12 bilhões só aqui na Caixa em crédito disponível para MEI e micro e pequenas empresas pelo Pronampe.”

Critérios técnicos

A presidente da Caixa Econômica Federal afirmou que a seleção da data de lançamento do programa Você no Azul foi feita de acordo com critérios técnicos, diante de perguntas sobre o início do programa próximo ao segundo turno da eleição presidencial. “É normal que se entre no quarto trimestre com programas de renegociação (de crédito)”, disse a executiva. “O programa sempre foi lançado no quarto trimestre.”

Segundo Daniella Marques, a maior parte das dívidas dos quatro milhões de clientes pessoas físicas enquadradas no programa se referem a débitos de menor valor. “Setenta por cento das dívidas de pessoas físicas são de até R$ 5 mil”, disse ela.

O vice-presidente da rede de varejo da Caixa, Julio Volpp, pontuou que o perfil de inadimplência dos clientes que não se enquadram no programa, ou seja, que ainda contribuem com os índices reportados pela CEF, é similar ao visto no programa. “Ao longo do ano, clientes foram entrando nas condições para o programa”, disse.

Explicou que a Campanha Você no Azul é destinada à renegociação de dívidas que já estão lançadas no balanço do banco em condição de prejuízo, que já estão com mais de 360 dias em atraso. Na prática, o programa anunciado trata de dívidas que não são mais consideradas nos índices de inadimplência do banco.

Volpp ainda destacou que o desconto de até 90% foi definido para que os inadimplentes possam pagar a dívida à vista. O programa contempla contratos de 4 milhões de clientes pessoa física e 396 mil pessoa jurídica. Segundo Volpp, no caso das empresas, o foco é em micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais.

Agência Estado