Cagece realiza mapeamento de fontes de Gases de Efeito Estufa para se adequar à operação de baixo carbono

O primeiro Inventário será realizado dentro dos escopos 1 e 2, que se referem às emissões diretas e indiretas


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) vai realizar o primeiro inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) da instituição. O mapeamento das fontes de GEE deverá auxiliar a companhia na busca de adequações para uma operação de baixo carbono. A motivação para este trabalho são as mudanças climáticas, que têm exigido atitudes urgentes em todo o mundo de empresas, governos e da sociedade em geral.

Em reunião com a empresa BlockC, que será a responsável por executar o serviço, foram discutidos os interesses da companhia com esta proposta e a metodologia de trabalho a ser desempenhado. O primeiro Inventário será realizado dentro dos escopos 1 e 2, que se referem às emissões diretas e indiretas.

O inventário terá como referência o ano de 2021. Por meio dele, será possível identificar, mapear e quantificar as fontes de emissão de gases de efeito estufa nas atividades e processos de toda a Cagece. Os dados da Companhia serão compilados e sistematizados para a empresa BlockC realizar os cálculos necessários para o mapeamento das fontes de GEE na companhia.

Romildo Lopes, coordenador de Políticas Ambientais da Gerência de Meio Ambiente (Gemam) da Cagece, destaca que há uma tendência mundial nas empresas na busca por processos cada vez mais sustentáveis, e é preciso que a Companhia se adeque continuamente a este movimento através das boas práticas que afetam de forma direta toda a população. “Será gerado um relatório final com direcionamentos metodológicos para implementação de medidas que foquem no processo de transição para carbono neutro, em que se buscará a diminuição de emissões, assim como ações mitigatórias e compensatórias”, declarou.