Cade recomenda rejeitar aquisição da carteira da Plamed pela Hapvida

A Superintendência do órgão antitruste analisou os possíveis impactos da transação. Ficou constatado que a ampliação do Sistema Hapvida geraria um "decréscimo no nível de rivalidade efetiva atualmente existente"


Clínica e laboratório Hapvida na Parangaba. Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O ímpeto de expansão do Hapvida pode ser freado por causa de uma recomendação da Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Foi pedido ao tribunal do órgão que a aquisição feita pela companhia cearense na totalidade da carteira de contratos de cobertura de saúde da Plamed fosse suspensa.

A Superintendência analisou os possíveis impactos da transação. Ficou constatado que a ampliação do Sistema Hapvida geraria um “decréscimo no nível de rivalidade efetiva atualmente existente”.

A preocupação do Cade está na concentração das atividades da empresa cearense no mercados de seguro saúde médico e hospitalar do Norte e Nordeste.

Vale lembrar que a Plamed atua em Sergipe, Bahia e Alagoas. Conta com 31 mil beneficiários.