Bolsonaro sobre subsídio a templos religiosos: “Estou apanhando e não decidi nada ainda”

Pelos cálculos do Governo, o custo do subsídio é de aproximadamente R$ 30 milhões. O consumidor teria a cobrança acrescida em sua conta de luz para bancar a fatura


Templo de Salomão da Igreja Universal do Reino de Deus. Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A possível criação de subsídio de energia elétrica para templos religiosos tem criado desconfiança em relação ao presidente Jair Bolsonaro. Em sua defesa, o chefe do Executivo alegou que ainda não assinou o decreto, mas que está “tomando pancada”.

“Estou apanhando e não decidi nada ainda. Eu não sei por que essa gana de dar pancada em mim o tempo todo. Eu assinei o decreto? Então por que essa pancada?”, disparou Bolsonaro após deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta terça-feira, 14. Pelos cálculos do Governo, o custo é de aproximadamente R$ 30 milhões. O consumidor teria a cobrança acrescida em sua conta de luz para bancar a fatura.

De acordo com o Estadão, os templos passariam a pagar tarifas no horário de ponta. Em resumo, elas são iguais às cobradas durante o dia – e bem mais baratas.