Bolsonaro é derrotado e Delegado Waldir continua como líder do PSL na Câmara

O caso é visto como uma dura derrota até para as pretensões de Eduardo Bolsonaro de ser indicado para a Embaixada do Brasil nos EUA.


Deputado Federal Delegado Waldir (PSL-GO): bateu de frente com a família Bolsonaro e levou a melhor.

Equipe Focus*
focus@focus.jor.br

Após dias seguidos de uma disputa interna que envolveu até gravação clandestina do presidente da República, a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara dos Deputados confirmou, no início da tarde desta quinta-feira, 17, o Delegado Waldir (GO) como líder do PSL na Câmara dos Deputados. A lista de assinaturas apresentada na noite de quarta-feira pelo líder, às 22h18, continha 31 assinaturas e 29 foram confirmadas.

Já o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), que disputava a posição contra Waldir, apresentou duas listas para assumir a liderança do partido. A primeira às 21h50 e a segunda às 22h27. Ambas continham 27 assinaturas, mas só 26 foram confirmadas na primeira lista, e 24, na segunda.

Portanto. Delegado Waldir segue liderando a segunda maior bancada da Câmara.

Em entrevista coletiva, o líder afirmou que quer pacificar o PSL. “Houve um grande embate, muito desgaste”, reconheceu. Mas ele informou que não haverá retaliações nem expulsão de deputados do partido. “Somos 98% fiéis ao governo. Vamos continuar votando com o governo.”

Delegado Waldir ainda ameaçou recorrer ao conselho de ética do PSL e da Câmara dos Deputados por causa da disseminação de notícias falsas em redes sociais. “Nenhum parlamentar está traindo o presidente. Continuamos sendo de direita. Continuamos defendendo as bandeiras pelas quais fomos eleitos. Apoiamos integralmente a Lava Jato. Somos defensores intransigentes do combate à corrupção, em qualquer esfera. Nada mudou.”

Ele ainda informou que haverá uma nova eleição para liderança do PSL em fevereiro.

*Com informações da Agência Câmara de Notícias.