Blog do Resenhador

por Leopoldo Cavalcante
Veja todos os artigos do autor

Por que não se usa Wagner em vídeos institucionais

Não sei se ele sabia que, eventualmente, seria inventor e invenção, ao mesmo tempo. Tampouco que um maluco brasileiro iria em rede nacional colocar sua invenção à prova de fogo final, confirmando não só que Leitmotivs funcionam como que Wagner está vinculado diretamente ao nazismo.


Grande parte das trilhas sonoras que a gente escuta em filmes, desde a Disney até os do Wes Anderson, carregam uma arte aperfeiçoada por Wagner.

Sabe aquela musiquinha que toca quando alguém menciona o Darth Vader? É um Leitmotiv.

A gente usa Leitmotivs em composição pra criar vínculos entre a personagem e o espectador. Todo mundo tem uma opinião sobre o Harry Potter quando toca a musiquinha do Harry Potter. Tocou, lembrou. É simples assim. Não precisa nem ver o rosto daquele jovem esquisito.

Wagner usava os Leitmotivs para contar suas releituras da mitologia germânica. Eram detalhes que ajudavam o espectador a não se perder em quatro horas de Ópera.

E qual a relevância disso?

Normalmente, nenhuma. Normalmente, seria apenas trivia.

Quando um secretário usa de fundo uma peça de Wagner, há uma mensagem por trás. Do mesmo modo que Letimotivs sinalizam uma personagem, o prelúdio de Lohengrin, a parte da ópera que toca no fundo do vídeo, referencia a uma personalidade da história recente.

Em 1941, um Führererlass também referenciava Wagner. Nacht-und-Nebel-Erlass foi a diretiva alemã contra os ativistas políticos contrários ao governo nazista. Todos aqueles que resistissem, deveriam tornar-se como a noite e a nevoa (Nacht und Nebel) e sumir.

Melodias wagnerianas, aos ouvidos atentos, invariavelmente carregam o fardo de antissemitismo e vinculos ao nazismo. Não por acaso. Wagner era bem babaca.

Quando um secretário de cultura une discurso fascista (com todo o peso que a palavra carrega) com música nazista… Bem.

Aprendemos a pensar, com o próprio Wagner, que músicas significam algo. Têm ligação com características de personagens. Leitmotiv foi a maior invenção do compositor. Não sei se ele sabia que, eventualmente, seria inventor e invenção, ao mesmo tempo. Tampouco que um maluco brasileiro iria em rede nacional colocar sua invenção à prova de fogo final, confirmando não só que Leitmotivs funcionam como que Wagner está vinculado diretamente ao nazismo.

Dia difícil para quem, como eu, gosta muito de Wagner.

Originalmente em: