Auxílio de R$ 600: regularização do CPF pode ser feita no site da Receita Federal

Caso seja encontrada alguma pendência, o problema poderá ser resolvido por meio da página de serviços do órgão, preenchendo o formulário eletrônico "Alteração de Dados Cadastrais no CPF"


CPF
CPF. Foto: Serasa Consumidor.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Quem estiver com o CPF com situação irregular para receber o socorro de R$ 600 do Governo poderá ajustá-lo no site da Receita Federal em qualquer horário.

De acordo com a Receita, cidadãos têm relatado dificuldades para inserir o número do CPF no aplicativo Caixa – Auxílio Emergencial, que permitirá o cadastramento do chamado “coronavoucher”.

O aplicativo tem recebido um grande número de acessos, fato que pode estar dificultando o cadastro dos beneficiários. O órgão orienta que as pessoas continuem tentando realizar o cadastro ao longo do dia caso não seja possível realizá-lo na primeira tentativa.

Caso o problema persista, o cidadão deve verificar no site da Receita se seu CPF está em situação irregular. Caso seja encontrada alguma pendência, o problema poderá ser resolvido por meio da página de serviços do órgão, preenchendo o formulário eletrônico “Alteração de Dados Cadastrais no CPF”.

Se a pendência continuar, o cidadão deverá procurar o atendimento presencial em uma agência da Receita Federal. A Receita alerta ainda que, se o CPF estiver em situação regular, mas o usuário não conseguir realizar o cadastro no aplicativo, o problema não estará relacionado ao órgão.

Para ter direito, ao benefício é necessário: 

Ter mais de 18 anos
Não ter emprego formal
Não receber os seguintes benefícios:
Previdenciário
Assistencial
Seguro-desemprego
Programa de Transferência de Renda Federal (Bolsa Família não impede receber Auxílio Emergencial).

Renda familiar mensal:
Até R$ 522,50, por pessoa ou
Até R$ 3.135,00, renda familiar total
Não receber rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70

Exercer atividades em uma das seguintes condições
Micro Empreendedor Individual (MEI)
Contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social
Trabalhador Informal

Cada família pode acumular, no máximo, dois benefícios, ou seja R$ 1.200. A mulher que sustentar o lar sozinha tem direito a R$ 1.200.

Com informações da Agência Brasil