As linhas de crédito e a economia. Por Tadeu Oliveira


Tadeu Oliveira é empresário e odontólogo. Foto: Divulgação

A alta generalizada de preços, sobretudo a dos combustíveis, traz impactos para toda a economia, elevando os custos de produção, sobretudo para os micro e pequenos empreendedores. Por trabalharem com um orçamento limitado, esses empresários enfrentam desafios ainda maiores com os custos dos insumos para seus produtos e serviços. Essa elevação se verifica desde o preço das matérias-primas até na remuneração de funcionários.

Nesse contexto, ganham relevância as linhas de financiamento para os empreendedores. Contar com esse recurso é fundamental para a continuidade desses negócios, que constantemente necessitam de investimentos para serem alavancados. Os micro e pequenos microempreendedores foram responsáveis, de acordo com o Sebrae Nacional, por 2,1 milhões de vagas de empregos no Brasil em 2021 – ou 78% dos postos com carteira assinada gerados.

Possibilitar que empreendedores tenham um acesso mais facilitado a um recurso extra é um relevante incentivo à economia estadual e nacional. Aqui no Ceará temos uma boa iniciativa, com a criação do Ceará Credi, que disponibiliza crédito para microempreendedores para contribuir com a criação e o fortalecimento dos pequenos negócios. É necessário também que o crédito seja facilitado através das instituições financeiras, que infelizmente são pautadas somente no risco e não levam em consideração o retorno dos microempreendedores e seus benefícios para a sociedade.

O crédito utilizado de forma consciente amplia os horizontes dos empresários que conseguem enxergar as oportunidades e canalizam recursos para o crescimento dos negócios, por isso as instituições financeiras públicas e privadas precisam orientar aqueles que as procuram, de modo a esclarecer que cada linha de crédito  atende uma finalidade específica, e é essencial que, antes da contratação, o empreendedor saiba quais são os objetivos do seu negócio.

Dessa forma, a ampliação das linhas de crédito pode significar não apenas a manutenção de milhões de postos de empregos, mas a continuidade da recuperação do cenário econômico e do desenvolvimento do Ceará e de todo o Brasil.