APECE: 38 anos em defesa dos Procuradores do Estado do Ceará. Por Fábio Pedrosa


Fábio Pedrosa Vasconcelos é procurador do Estado do Ceará e presidente da APECE. Foto: Divulgação

Por Fábio Pedrosa

Neste mês de julho, a Associação dos Procuradores do Estado do Ceará – APECE completa 38 anos de sua fundação. Somos a entidade que representa uma categoria que, com grande diligência, atua na defesa dos interesses do Estado e da sociedade cearense, tornando-se indispensável à Administração Pública. Por isso, ocupar hoje o cargo de presidente da Associação é tarefa que exerço com muita honra e senso de responsabilidade.

Sucedo admiráveis e nobres colegas que alcançaram importantes conquistas para a carreira, como o Dr. José Aldízio Pereira, primeiro presidente da APECE; e a procuradora Angélica Maria Gomes Ximenes, que deixou sua marca ao ser a primeira mulher a assumir a presidência, em 1988, e deu voz à luta pela valorização das mulheres durante a sua gestão.

Posso dizer que, na verdade, nossa história sempre foi escrita diariamente pelas mãos de nossos abnegados associados, que se dedicam continuamente a fortalecer a carreira de Procurador do Estado do Ceará. Unidos, passamos a ter voz ativa e, assim, conquistamos significativos avanços, que dão cada vez mais aos nossos filiados o sentimento de segurança e de fortalecimento da categoria.

Celebramos quase quatro décadas de luta sem nos esquecer dos desafios que nos trouxeram até aqui no cumprimento de nossa importante missão de manter o correto funcionamento da máquina pública, sempre prezando pela lisura e transparência na destinação dos recursos estaduais.

Por isso, nessa data tão marcante, não posso deixar de saudar os diligentes colegas Procuradores e Procuradoras, verdadeiros guardiões dos interesses da sociedade cearense, e reafirmar o nosso compromisso de bem representar, defender e trabalhar incansavelmente pela valorização da carreira.

Sabemos que os tempos futuros nos exigirão manter o olhar vigilante em defesa de nossos interesses primários, mas estamos certos de que, permanecendo unidos, enfrentaremos e venceremos qualquer investida de ameaça às prerrogativas dos procuradores estaduais e ao bom funcionamento do Estado. Assim, fortaleceremos cada vez mais o nosso espaço perante a sociedade.