Ao vivo: Focus Colloquium debate as finanças e contas públicas em tempos de pandemia

A correta gestão do orçamento, o planejamento bem estruturado e a eficiência dos gastos são tarefas que, mais do que nunca, se impõem no cotidiano dos gestores públicos.


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

As contas públicas foram diretamente afetadas pelo impacto da pandemia sobre a atividade econômica. Por conseguinte, união, estados e municípios sofrem com a forte queda na arrecadação tributária e fiscal, obrigando que a gestão do orçamento público se torne uma chave fundamental tanto no combate à crise da saúde quanto na própria saúde financeira e administrativa dos entes da Federação.

Além da correta gestão do orçamento, o planejamento bem estruturado no processo de alavancagem da arrecadação e a eficiência dos gastos públicos também são tarefas que, mais do que nunca, se impõem no cotidiano dos gestores públicos, principalmente nas mais de cinco mil prefeituras do País.

Por conseguinte, tornam-se necessárias novas medidas e critérios do Governo, dos Estados e municípios através de estratégias eficazes. Uma delas seria a revisão de todos os gastos e investimentos e redefinir novas regras de controle fiscais mais restritivas para conter a crise que nos assola.

É por isso que o Focus Colloquium coloca em pauta um tema que é decisivo para os gestores públicos e, em instância superior, para os cidadãos que precisam de serviços de qualidade e um setor público capaz de dar respostas eficientes. Nosso tema é: Finanças e contas públicas em tempos de pandemia.

Os convidados da live do Focus possuem larga experiência no setor. O economista Alexandre Cialdini, atualmente à frente das finanças de Eusébio, já foi secretário de cidades de grande, médio e pequeno. Fortaleza e São Bernardo, em São Paulo, são exemplos. Com sólida formação acadêmica, Cialdini é um respeitado estudioso e gestor de contas públicas.

Dimas de Oliveira Costa é advogado, um criterioso analista da política que trabalhou por anos no Tribunal e Contas dos Municípios do Ceará. Portanto, conhece como poucos o funcionamento e a lógica das cortes de contas no Brasil.