África do Sul reprova vacina Sputnik-V contra COVID-19

A preocupação é que o imunizante acabe gerando um aumento o risco de infecção pelo HIV entre os homens


Vacina. Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Nesta segunda, 18, a Autoridade Reguladora de Produtos de Saúde da África do Sul (SAHPRA) anunciou a reprovação da vacina russa Sputnik V contra a covid-19. A preocupação é que o imunizante acabe gerando um aumento o risco de infecção pelo HIV entre os homens.

“O uso da vacina Sputnik V na África do Sul, um cenário de alta prevalência e incidência de HIV, pode aumentar o risco de homens vacinados adquirirem o HIV”, afirmou o órgão regulador de produtos de saúde.

O argumento é que a empresa por trás do pedido de uso da Sputnik V na África do Sul não tinha provas de que a fórmula seria segura em ambientes de alta prevalência de HIV. Acontece que o país em questão tem o maior número de pessoas vivendo com HIV do mundo

Frente a isso, o Instituto Gamaleya, responsável por desenvolver a vacina Sputnik V, alegou que as preocupações da SAHPRA não tinham fundamento, e reuniria provas quanto a isso.

Atualmente, a vacinação na África do Sul se dá por meio do imunizante de dose única da Janssen (Johnson & Johnson) e o de duas doses da Pfizer/BioNTech.

A Sinovac, de fabricação chinesa, também foi aprovada no país. Vale lembrar que a Sputnik V não tem aprovação para uso emergencial pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Fonte: Medical Xpress