Advogados cobram da OAB Ceará retorno das atividades presenciais e relatam “insatisfação na classe”

Juristas afirmaram ao Focus que a Ordem retomou apenas as atividades da subseção da Região Metropolitana, enquanto a sede de Fortaleza permanece fechada


Prédio da OAB-CE. Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Após a liberação dos escritórios de advocacia no Ceará, conforme determinação do decreto do Governo do Estado, advogados questionam o fato de a OAB Ceará ainda não ter retomado as atividades presenciais.

“A OAB-CE permanece de portas fechadas sem ofertar o devido suporte aos advogados, muito embora possua um prédio de dimensões significativas, cujo retorno das atividades poderia facilmente assegurar o distanciamento mínimo recomendado pelas autoridades sanitárias”, destaca uma advogada que não quis se identificar ao Focus.

“O mais curioso é que outros órgãos do próprio sistema tomaram caminho contrário, como a OAB da Região Metropolitana de Fortaleza que, sensibilizada com a necessidade da classe, já tornou pública a abertura das portas nesta semana por meio da Portaria 08/2020”, comenta.

Outro advogado, também sob condição de sigilo, destacou que movimentos começam a se formar para pressionar a OAB no Estado. “A insatisfação dos advogados com a impossibilidade de utilização da sede da Ordem, bem como diante da ausência de atendimento presencial e de apoio à classe neste difícil período tem sido cada vez mais frequente, sendo mais um o objeto de desgaste da conturbada gestão”, finaliza.