A importância do administrador para as organizações. Por Heber José Teófilo


Heber José Teófilo de Moura é administrador e coordenador do curso de Administração do Centro Universitário Estácio do Ceará. Foto: Divulgação

No dia 09 de setembro, comemora-se o Dia do Administrador. A função deste profissional torna-se indispensável em um ambiente cada vez mais complexo, com avanços tecnológicos, mudanças sociais, culturais e políticas por meio de um cenário cada vez mais recheado de incertezas e controvérsias.

Mediante esse cenário de incertezas, as empresas devem estar em constante adaptação para identificar e analisar as melhores decisões para os negócios, traçar cenários para melhor compreensão do impacto das variáveis externas sobre o ambiente de atuação da empresa, com o intuito de minimizar os impactos e se antecipar às tendências do mercado.

Na contemporaneidade, as empresas precisam se reinventar e mudar suas estratégias rapidamente à medida que surgem acontecimentos atípicos, adquirindo a capacidade de avaliar situações que levem a tomar decisões adequadas às mudanças. Assim, em vez de buscar fazer as coisas de maneira correta, o intuito passa a ser realizar o correto da melhor maneira, levando em consideração todas as circunstâncias, trazendo a certeza de que se precisa mais de um líder do que de um chefe.

O administrador é um profissional chave dentro das organizações, tanto na dimensão social quanto econômica, tendo cada vez mais novos desafios, necessitando adquirir novas competências e habilidades tecnológicas para se adaptar ao mercado.

Além das competências que o administrador exerce para o sucesso das organizações, ele também é solicitado a contribuir para o desenvolvimento da sociedade, sendo um agente transformador ao tomar decisões baseadas nos princípios da ética, do desenvolvimento sustentável, minimizando as desigualdades, implantando ações, comunicando valores nas organizações que vão ao encontro do que a sociedade clama, buscando uma salutar independência em um cenário tão competitivo, tal qual Dom Pedro conseguiu para o nosso país, em outra época e dimensão.

Desse modo, as organizações, representadas por seus líderes, precisam estar sempre se reinventando rapidamente e repensando suas estratégias de acordo com os acontecimentos, muitas vezes imprevisíveis. As situações inusitadas irão surgir e o que será decidido quando isso acontecer definirá sobre o futuro de uma empresa.