8 em cada 10 médicos acham que hospitais de campanha contra Covid não deveriam ter sido desativados

O hospital de campanha montado pela Prefeitura de Fortaleza no estádio Presidente Vargas foi desativado em setembro passado.


O hospital de campanha montado pela Prefeitura de Fortaleza no estádio presidente Vargas foi desativado em setembro passado. Com 280 leitos, a unidade foi inaugurada no dia 18 de abril e contabilizou 1.239 atendimentos.

A julgar pela pesquisa realizada pela Associação Médica Brasileira, a grande maioria dos médicos consideraram um equívoco a desativação dos hospitais de campanha que recebiam pacientes diagnosticados com a Covid-19.

Ao serem indagados sobre a questão, o entendimento de 81,4% dos profissionais da medicina consideraram a decisão equivocada. Metada desse grupo considerou que as decisões das autoridades públicas em todo o Brasil foram “precipitadas”.

A amostra da pesquisa da AMB traz 55,3% de médicos e 44,7% de médicas, totalizando os 3.882 profissionais médicos.

O hospital de campanha montado pela Prefeitura de Fortaleza no estádio presidente Vargas foi desativado em setembro passado. Com 280 leitos, a unidade foi inaugurada no dia 18 de abril e contabilizou 1.239 atendimentos (FC).

Vejam a percepção médicos detectada pela pesquisa

Veja abaixo a metodologia da pesquisa

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.